Episteme

A gravidade de massas e a gravidade moral

A física moderna surgiu da descoberta do algoritmo usado por Deus para construir o universo: a gravidade que atrai as massas de matéria entre si. A gravidade moral que conduz a razão, porém, é frequentemente desobedecida pelas pessoas, pelas sociedades e pelas elites. Entre a gravidade física e a gravidade da razão (a razão da razão, a razão da ponderação informada pela experiência registada) vai a distância entre a ciência e as ciências sociais.

 

Crianças, Jovens e Adultos em Reclusão – Criminalização, institucionalização e direitos

Para mim, a dia 5 de Dezembro de 2016, foi um dia de grande satisfação por confirmar haver investigadores sociais e até juristas (para mim foi uma primeira indicação) conscientes de que quando estudam ou intervêm nas prisões estão a estudar pessoas e a sociedade em geral.

 

2º Congresso do Observatório das Condições de Vida

O programa do 2º Congresso do Observatório das Condições de Vida teve uma diversidade de temas e de abordagens cujo sentido geral enquadro deste modo: ler mais

 

Esforços sociológicos para sair da actual prisão epistémica

Os melhores autores de sociologia estão a contas com a mesma. Queixam-se dela ao mesmo tempo que se declaram rendidos aos seus encantos. Preferem esperar que ela se transforme a fazer aquilo que é indispensável: romper com a relação para a renovar, para a actualizar, que é a forma de obrigar à sua transformação.

 

Intenções e sociedade

Uma das consequências práticas das teorias sociais tem sido encobrir, em vez de descobrir, alguns fenómenos de violência. Há nesse encobrimento uma dimensão moderna. Mas também há uma dimensão humana, própria da espécie e das nossas limitações cognitivas.

(…) Na figura de herói, se aceitarmos não a moralizar, cabem os heróis de guerra, os cientistas mártires, as comunidades que resistem aos genocídios, os terroristas suicidas, os pais das pátrias, etc. A tragédia é o estilo literário que descreve a contradição entre o destino e as intenções dos agentes. A sátira e o humor a sua contrapartida oral.

 

A cumplicidade

Quando as ciências sociais se resignam a acompanhar as dimensões conviviais do senso comum – nalguns casos esforçadamente à procura daquilo que possa ser construtivo do ponto de vista das instituições ou dos valores sociais vigentes – como acontece tantas vezes ao estudar as representações sociais ou as atitudes, correm o risco de esquecer a função de descoberta científica.

(…) Não se pode dizer que as ciências se tenham revoltado contra isso.

 

À procura de eco na Biologia

Sou sociólogo mas convencido da bondade da sociologia (e das ciências sociais) continuarem o caminho para se tornarem ciências como as outras (as ditas duras), como a biologia. Isto porque admito que as ciências têm a ganhar com isso. Foi o que entendi dos livros de Damásio.

 

Epistemologia nova

Boaventura Sousa Santos (2014) propõe-se estudar as epistemologias do Sul, anti hegemónicas, para reavivar a esperança na humanidade, num contexto depressivo de exploração desenfreada.

(…) A teoria social centrífuga deve ser capaz de, sem perder as vantagens da especialização e o foco nos níveis da realidade que são próprios do social, das sociedades e das sociabilidades, dialogar de forma íntima com os conhecimentos alheios, mais interessados em lugares acima ou abaixo das nossas realidades de eleição.   Ler mais

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *